Fotoproteção na infância

Você sabia que até os 18 anos de idade calcula-se que uma pessoa receba cerca de 80% da radiação solar de toda uma vida! O efeito danoso da radiação solar é cumulativo, ocorrendo dia após dia. Com a chegada do verão e das férias escolares o tempo de exposição das crianças ao sol é ainda maior. A exposição solar excessiva e sem proteção adequada durante a infância e adolescência é a principal responsável pelo aumento na incidência de câncer de pele e pelos sinais de fotoenvelhecimento observados na idade adulta.

QUAIS OS TIPOS DE RADIAÇÃO SOLAR A QUE SOMOS EXPOSTOS DIARIAMENTE?

A radiação ultravioleta é dividida em função de seu comprimento de onda. As radiações ultravioletas A (UVA) e B (UVB) são capazes de ultrapassar a camada de ozônio e atingir a nossa pele. A radiação UVA participa diretamente do desenvolvimento dos sinais de fotoenvelhecimento. Já a radiação UVB é a responsável por grande parte dos efeitos carcinogênicos (desenvolvimento dos cânceres de pele).

 

O QUE É FATOR DE PROTEÇÃO SOLAR (FPS)?

O FPS é um índice encontrado nos protetores solares, relacionado à capacidade de proteção contra radiação UVB. Ele indica quanto tempo uma pessoa pode ficar exposta ao sol sem desenvolver eritema (“vermelhão”). Por exemplo: se uma pessoa sem protetor solar demora 1 minuto para ficar com a pele vermelha quando se expõe ao sol, ao usar um protetor com FPS 30 ela irá desenvolver o eritema em 30 minutos (30 vezes o tempo de desenvolvimento do eritema sem o protetor). Como você pode ver o efeito do protetor solar não é igual em todas as pessoas!

 

ACESSÓRIOS E PROTEÇÃO SOLAR

O Fator de Proteção Ultravioleta (FPU) é usado para medir a porcentagem dos raios ultravioleta A e B que ultrapassam o tecido.
Desta forma o FPU 5 significa que 1 em cada 5 raios ultrapassa o tecido e chega na nossa pele. Já o FPU 50, 1 em cada 50 raios atinge a pele. Roupas normalmente proporcionam fator de proteção ultravioleta (FPU) entre 2 a 12. Roupas encontradas em lojas especializadas possuem em geral FPU maior que 50. A proteção é maior quanto menor os espaços entre os fios e quanto maior for o peso e a grossura do tecido.

DICA: coloque a roupa contra a luz e observe. Se passar pouca luz, o FPU deve ser bom! Quanto mais escuro o tecido, maior o FPU, o pigmento ajuda a absorver os raios ultravioleta. As cores escuras aumentam a proteção 3 a 5 vezes do tecido. Por isso, se o algodão for grosso e escuro pode conferir proteção maior que outros tecidos. As roupas quando molhadas perdem metade do FPU. Ficar em baixo do guarda-sol ajuda, mas não garante proteção total. Muitos guarda-sóis são de tecido inadequado, além de não proteger da radiação refletida pela areia e pela água. O uso de bonés, chapéus de abas largas e óculos de sol (com lentes adequadas) ajudam no combate aos danos solares.

 

TIPOS DE PROTETOR SOLAR

Os Protetores Solares FÍSICOS agem como barreira física, refletindo principalmente os raios UV. Contém pequenas partículas de dióxido de titânio e óxido de zinco e outros minerais, talco e calamina. Não são irritantes, nem sensibilizantes. Os Protetores Solares QUÍMICOS agem absorvendo os raios UVB e UVA. Tem maior risco de dermatite de contato mas, no entanto, maior aceitação cosmética.

 

PROTETOR SOLAR: QUAL? QUANDO? COMO?

O uso do protetor solar deve ser diário e não somente nos dias em que as crianças vão à praia ou piscina.

DICAS:

O protetor deve ser aplicado mesmo nos dias nublados em que 80% da radiação solar atingem a superfície da Terra.
Os bebês até o sexto mês de vida não devem ser expostos diretamente ao sol.
Após o sexto mês, principalmente até o primeiro ano de vida, as crianças devem ser expostas ao sol em períodos curtos e em horários apropriados. A radiação ultravioleta é mais intensa entre as 10 e 16 horas (11 e 17 horas no horário de verão) e por esta razão deve-se evitar a exposição solar neste horário.
A exposição ao sol ajuda na síntese de vitamina D que é necessária para que os ossos sejam saudáveis, mas são suficientes 15 minutos de sol por semana nos bebês e 15 minutos três vezes por semana nas criança de mais de 2 anos, sem o uso de filtro solar.
Até os 6 meses de idade não é recomendado exposição solar prolongada (praia, piscina).
Dos 6 meses aos 2 anos utilizar somente filtros 100% físicos (filtro” baby” ou “mineral”). Antes da primeira aplicação testar o filtro em uma pequena área de pele e observar se ocorre irritação local nas primeiras 24 horas.
Deve-se aplicar uma quantidade adequada de protetor solar (cerca de 2g) em torno de 20 minutos antes da exposição solar. Não esquecer as orelhas, dorso dos pés, dorso das mãos e lábios.
O protetor solar deve ter FPS de 30 ou mais.
Nos períodos de exposição solar prolongada deve ser reaplicado de 2 em 2 horas. Este período de reaplicação deve ser respeitado mesmo com o uso de protetores á prova d’água.
Não existe um protetor solar que seja 100% efetivo. O bloqueio dos raios solares UVB é muito semelhante a partir do FPS 15. Um protetor solar com FPS 15 bloqueia 94% dos raios enquanto um com FPS 30 bloqueia 96%. A diferença é o tempo de absorção dos raios solares que será maior nos protetores com FPS mais alto.
DEVEMOS ENSINAR NOSSOS FILHOS DESDE PEQUENOS SOBRE OS CUIDADOS EM RELAÇÃO À PROTEÇÃO SOLAR. ESTA EDUCAÇÃO SERÁ FUNDAMENTAL PARA O DESENVOLVIMENTO DE ADULTOS SAUDÁVEIS. PROTEGER A CRIANÇA E O ADOLESCENTE DA AÇÃO DA RADIAÇÃO SOLAR DIMINUI EM ATÉ 80% O RISCO DE CÂNCER DE PELE NA IDADE ADULTA.
22 de dezembro de 2014|Proteção Solar|

Deixar Um Comentário